GLO e Diplomacia Ambiental

O Velho General

Bianca-CarlPor Bianca Carl*

Baixar-PDF

Capa-PDF.jpgVista aérea da Ponte Jornalista Phelippe Daou, popularmente conhecida como Ponte Rio Negro, em Manaus, setembro de 2011 (Foto: Portal da Copa/Wikimedia Commons/CC BY-SA 3.0 BR)


“Art. 15. O emprego das Forças Armadas na defesa da Pátria e na garantia dos poderes constitucionais, da lei e da ordem, e na participação em operações de paz, é de responsabilidade do Presidente da República, que determinará ao Ministro de Estado da Defesa a ativação de órgãos operacionais (…)” (Lei Complementar 97/99)


Diante da crise internacional que as queimadas na Floresta Amazônica suscitaram, no último dia 23 de agosto, formou-se um Gabinete de crise, composto por um pool dos Ministérios de Relações Exteriores, de Defesa e de Economia, sob o comando do Estado-Maior Conjunto das FA – dois comandos que coordenam as ações em conjunto com o Ministério da Defesa: Comando Conjunto do Norte, tendo à frente o General Paulo…

Ver o post original 978 mais palavras

Anúncios

O Plano Estratégico para a Amazônia e a Carta de Manaus

O Velho General

Imagem.jpgPhil P. Harris, Wikimedia Commons, CC BY-SA 2.5

O PLANO ESTRATÉGICO PARA A AMAZÔNIA (PEA) e a Carta de Manaus fazem parte de uma inciativa do Canal ARTE DA GUERRA associado à Revista TECNOLOGIA E DEFESA e ao Blog VELHO GENERAL.

Ele nasceu do clamor existente no seio da sociedade brasileira no sentido de contrapor respostas à crescente campanha internacional orquestrada para desmoralizar e enfraquecer o Brasil.

Agradecemos às milhares de pessoas que nos escreveram enviando sugestões e manifestaram seu apoio.

Lembramos à todos porém que a luta ainda não acabou, pois junto com a Carta de Manaus, o PEA precisa chegar às autoridades. Desta forma, solicitamos que divulguem em suas redes sociais e, se tiverem condições, imprimam, distribuam e enviem a seus parlamentares.

Responsabilidade, Compromisso e Fé no Brasil!

Clique nos documentos para download.  

Captura de Tela 2019-09-08 às 22.34.53.pngCaptura de Tela 2019-09-08 às 22.35.16.png
CARTA DE MANAUS
PLANO ESTRATÉGICO PARA A AMAZÔNIA

Ver o post original

A Defesa Nacional da China na Nova Era

O Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Cel-Paulo-FilhoPor Cel Cav Paulo Roberto da Silva Gomes Filho*

Baixar-PDF


Capa-PDF.jpgXi Jinping posa com soldados em navio em 2018, durante exercícios militares no Estreito de Taiwan (Foto: AP)


“Livros Brancos de Defesa” são documentos governamentais de alto nível, editados com a finalidade de esclarecer a sociedade, além da comunidade internacional, acerca das políticas e estratégias que norteiam as ações de segurança e defesa de um país. Vistos desde um prisma idealista, são documentos que promovem a confiança mútua entre os Estados, uma vez que conferem transparência às motivações e finalidades do instrumento militar de cada nação. Se analisados de um ponto de vista realista, além de serem instrumentos de dissuasão, uma vez que propagandeiam capacidades militares, oferecem valiosas pistas sobre os rumos traçados, facilitando o entendimento de acontecimentos e possibilitando a antecipação de estratégias.

LIVRO RECOMENDADO:

A Arte da Guerra: os treze capítulos completos

  • Sun Tzu (Autor)
  • Em português
  • Versões eBook…

Ver o post original 916 mais palavras

China e Rússia: Aliados?

O Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Cel-Paulo-FilhoPor Cel Cav Paulo Roberto da Silva Gomes Filho*

Baixar-PDF


Capa-PDF.jpgXi Jinping e Vladimir Putin em coletiva de imprensa durante o Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, em junho de 2019 (Foto: Russian President’s Official Website)


A cada encontro entre os presidentes Xi Jinping e Putin, a pergunta volta à tona: China e Rússia se tornarão aliados? Como os Estados Unidos reagiriam a essa possibilidade, que certamente traria implicações para o equilíbrio do poder global?

O Fórum Econômico de São Petersburgo, nos primeiros dias de junho, foi mais uma dessas ocasiões. Os dois líderes alinharam os discursos nas críticas aos americanos, acusados de travarem uma guerra comercial para eliminar a concorrência. O exemplo mais claro seria o embargo norte-americano à gigante chinesa das telecomunicações Huawei. Aliás, uma das grandes notícias do evento foi a assinatura do acordo entre a Huawei e a Rússia, para o desenvolvimento da internet de 5ª geração…

Ver o post original 932 mais palavras

Cel Montenegro: playlist ADG e download “Desafios à Defesa Nacional/Papel das FA”

O Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Material Cel. Montenegro – Desafios à Defesa Nacional e o papel das Forças Armadas

Captura de Tela 2019-08-27 às 16.21.43.pngDesafios à Defesa Nacional e o papel das Forças Armadas

Download

LIVRO RECOMENDADO:

O Brasil, os BRICS e o Mundo no Século XXI: Estratégias Nacionais de Defesa e Desafios Geopolíticos em um Mundo em Transformação

  • João Fábio Bertonha (Autor)
  • Em português
  • Capa Comum

Confira também a Playlist do Cel. Montenegro no Canal ARTE DA GUERRA:

Tela-Playlist


LIVRO RECOMENDADO:

Política de Defesa no Brasil: uma análise crítica

  • Domício Proença Jr e Eugenio Diniz (Autores)
  • Em português
  • Capa Comum

Ver o post original

Só o Brasil pode salvar a Amazônia

O Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Albert-VF1Por Albert Caballé Marimón

Baixar-PDF


Capa-PDF.jpgVista aérea da floresta amazônica próxima a Manaus, em 19 de abril de 2011 (Foto: Neil Palmer/CIAT/Flickr)


No final de junho passado – após vinte anos de negociação –, o Mercosul e a União Europeia finalmente selaram um acordo de livre comércio entre os dois blocos, fato que foi amplamente noticiado. No início de agosto, o presidente Jair Bolsonaro demitiu o diretor do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) por divergir da forma com que foram divulgados dados sobre o desmatamento da Amazônia em 2019. Note-se que as informações sobre focos de incêndio, áreas afetadas e outros vem de diversos sistemas diferentes, e é necessária uma integração e uma análise antes de um parecer final. A divulgação de dados preliminares pode levar a distorções e interpretações diversas. Na sequência desse fato, passamos a assistir a um verdadeiro ataque midiático ao Brasil.

Em 1º de agosto passado, a revista

Ver o post original 1.751 mais palavras

Crise no Oriente Médio: Irã executa espião e EUA lançam ataque cibernético

O Velho General

Banner-ADG

Albert-VF1Por Albert Caballé Marimón

Citizen CyberMapa de ataques cibernéticos do 275º Cyberspace Squadron (Foto: USAF/J.M. Eddins Jr.)


O Irã executou Jalal Haji Zavar, ex-empreiteiro organização aeroespacial do Ministério da Defesa iraniano, acusado de espionagem para a CIA (Central Intelligence Agency). Segundo informações divulgadas na Al Jazeera e ouras agências de notícias, Zavar confessou ter espionado para o governo americano por dinheiro. Documentos e dispositivos de espionagem foram encontrados em sua casa.

Não há informações sobre a data da prisão, mas foi informado que o contrato de Zavar com o Ministério da Defesa havia terminado há nove anos. Ele foi identificado como um espião pela unidade de inteligência do Ministério da Defesa. A ex-mulher de Zavar também foi condenada por “envolvimento em espionagem” e cumpre sentença de 15 anos de prisão.

Zavar foi condenado por um tribunal militar e executado em um horário indeterminado na prisão de Rajayi Shahr, na cidade de…

Ver o post original 214 mais palavras

Estratégia Militar Nacional dos Estados Unidos: Apoio do Exército dos EUA aos Objetivos Militares Nacionais

O Velho General

Banner-ADG

Por Major Andrew Sanders, Exército dos EUA1 (traduzido por Albert Caballé Marimón)


Este documento explicará a Estratégia Militar Nacional (NMS, National Military Strategy) dos Estados Unidos e suas implicações para o Exército dos EUA. Para tanto, devemos responder às seguintes questões: o que é uma Estratégia Militar Nacional? como esta estratégia é desenvolvida e como ela suporta outras estratégias nacionais; qual é a estratégia atual; e como o Exército dos EUA contribui para alcançar os Objetivos Militares Nacionais (NMOs, National Military Objectives) estabelecidos nos NMS.

O que é uma Estratégia Militar Nacional dos EUA?

A Estratégia Militar Nacional (NMS) é a contribuição do Chefe do Estado Maior Conjunto para o cumprimento dos objetivos estabelecidos na Estratégia Nacional de Segurança (NSS, National Security Strategy) e na Estratégia Nacional de Defesa (NDS, National Defense Strategy). Além disso, o NMS fornece orientação estratégica para os serviços*, especialmente como os serviços…

Ver o post original 3.433 mais palavras

O próximo caça da US Navy (ele não vai substituir o F-35)

O Velho General

Banner-ADG

Albert-VF1Por Albert Caballé Marimón

Nos últimos dias foi noticiado que a US Navy está planejando seu próximo caça, e que o desenvolverá sem a colaboração da USAF. Como já é habitual, alguns setores da mídia que explora o assunto defesa alfinetaram o F-35, dando a entender que a US Navy vai substitui-lo por conta dos custos e problemas enfrentados pelo seu projeto.

O fato é que as forças armadas americanas começam a planejar suas próximas gerações de armamentos com muita antecedência – com muita antecedência mesmo –, e, tanto a USAF como a US Navy já estariam planejando a sua próxima geração de caças mesmo que o F-35 não existisse.

O que está sendo trabalhado, na verdade, é o planejamento de requisitos para um caça de sexta geração. Ao contrário do que certos veículos dão a entender, a decisão do próximo caça da US Navy não foi tomada agora, mas…

Ver o post original 994 mais palavras

Black Hawk Down! A Operação Serpente Gótica (a Batalha de Mogadíscio de 1993)

O Velho General

Banner-ADG

ReisPor Luiz Reis

O ano de 1993 nos Estados Unidos foi marcado por diversos eventos. O país que liderou uma coalização que derrotou Saddam Hussein na Guerra do Golfo em 1991 passou por uma troca de comando na presidência, com a saída do vencedor desse conflito, o republicano George H. W. Bush (o “Bush pai”), que buscava a reeleição, para a entrada do democrata Bill Clinton. No início do ano, é assinado o segundo Tratado de Redução de Armas Estratégicas (START II), que prevê a redução de dois terços dos arsenais nucleares americanos e russos. No dia 26 de fevereiro um carro-bomba, detonado por terroristas árabes islâmicos, explode em um estacionamento subterrâneo da Torre Um do World Trade Center, deixando 6 mortos e 1.042 feridos na cidade de Nova York. E no dia 8 de dezembro o Presidente Bill Clinton assina o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA, North American…

Ver o post original 6.148 mais palavras