O comandante Crozier, o USS Theodore Roosevelt e o coronel Roosevelt: uma ironia da História

Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Albert-VF1Por Albert Caballé Marimón*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.jpgCoronel Theodore Roosevelt dos Rough Riders, 1898 (Foto: Buyenlarge/Getty Images).


A História é por vezes irônica. No recente episódio do afastamento do capitão Crozier do comando do porta-aviões USS Theodore Roosevelt, o antigo comandante dos “Rough Riders”, que deu nome à embarcação, foi protagonista de um episódio similar.


O capitão Brett Crozier foi afastado do comando do porta-aviões USS Theodore Roosevelt devido às questões decorrentes do vazamento da carta que ele enviou às instâncias superiores do comando. Como é sabido, a carta descreve sua visão do problema da infecção da tripulação pelo COVID-19 e solicita apoio imediato. De acordo com Thomas Modly, secretário da marinha americana, a carta foi enviada por Crozier através de um e-mail fora dos canais seguros da US Navy com cópia para muita gente, o que acabou ocasionando…

Ver o post original 1.199 mais palavras

Liderança Militar em tempos de crise

Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Cel-Paulo-Filho.pngPor Paulo Roberto da Silva Gomes Filho*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.jpgImagem: Good Omen Creative.


Liderança militar vai além de comandar uma unidade (seja qual for sua magnitude) ou ser bem quisto por seus subordinados. A preocupação com os comandados é dever de um líder, mas ela deve ser gerida de acordo e na medida das diretrizes do comando superior, da instituição e, acima de tudo, dos interesses da Nação.


Qual é o papel de um líder militar em tempos de crise? Quais devem ser suas prioridades? Essas perguntas vêm à tona em virtude da exoneração do capitão[1] Brett Crozier[2], que comandava o porta-aviões de propulsão nuclear USS Theodore Roosevelt. O comandante Crozier perdeu seu comando em razão do vazamento de uma correspondência[3] que ele enviara a seus superiores, com cópias para outras vinte ou…

Ver o post original 1.397 mais palavras

“Gerônimo E.K.I.A.”: a Operação Lança de Netuno

Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Albert-VF1Por Albert Caballé Marimón*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.jpgSEALs invadindo o complexo de Bon Laden (Imagem: El Gran Capitán/Johnny Shumate).


A Operação Lança de Netuno, que culminou com a morte de Osama Bin Laden, foi resultado de um planejamento extenso que sucedeu uma investigação complexa e repleta de incertezas e ambiguidades. Não há muitas informações oficiais sobre a missão e muitos aspectos permanecem desconhecidos. No entanto, com o passar do tempo diversos relatos vêm revelando pequenos detalhes que permitem especulações plausíveis a respeito da operação e dos meios empregados.


“Gerônimo” foi o codinome designado para confirmar a identidade de Bin Laden pelos SEALs; o acrônimo em inglês “E.K.I.A.” significa “Enemy Killed In Action” (inimigo morto em ação).


Os atentados de 11 de setembro consistiram em quatro ataques coordenados pelo grupo terrorista islâmico Al-Qaeda contra os Estados Unidos na terça-feira…

Ver o post original 4.789 mais palavras

A gestão de negócios do narcotráfico nas favelas brasileiras

Velho General

B-Top-720x75px-ADG.jpg

Cel-Montenegro.pngPor Fernando Montenegro*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.jpgImagem: Flickr – favela/Chris Jones; arma/ARTS_fox1fire.


O imaginário coletivo normalmente tem uma visão simplória do negócio que controla mais de mil favelas no Rio de Janeiro. Costuma-se pensar que são apenas jovens portando um saco de drogas numa mão e um AK-47 na outra. Não é bem assim.


Durante o período em que permaneci ocupando os complexos de favelas do Alemão e da Penha, me dediquei a estudar o negócio do narcotráfico nos morros cariocas. Além da minha vivência como nativo do Rio de Janeiro, contei com minhas observações pessoais no terreno, leituras de diversos textos científicos, entrevistas a subordinados, sociólogos, moradores, policiais, informantes, traficantes, ex-traficantes e ex-presidiários. A intenção era entender melhor a dinâmica do narcotráfico para ter mais êxito no combate.

Tradicionalmente chamado de Firma, a comercialização do narcotráfico nas favelas…

Ver o post original 2.454 mais palavras