Nota da Marinha sobre declarações de militar na GLO

Velho General

A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 3º Distrito Naval (Com3°DN), informa que tomou conhecimento, no dia 25 de fevereiro, das reprováveis declarações feitas por um dos nossos militares, componente da Operação de Garantia da Lei e da Ordem no Estado do Ceará.

Repudiamos veementemente a opinião em relação aos policiais militares do Ceará, não representando o posicionamento da Força. De imediato a MB tomou providências imediatas no sentido de afastá-lo da tarefa, restituindo-o à sua organização militar de origem, onde serão iniciados os procedimentos administrativos cabíveis.

As sólidas relações entre a MB e a Polícia Militar do Estado do Ceará, que incluem seus componentes, permitem às instituições enfrentarem o momento atual de forma respeitosa, cordial e colaborativa, como foram os últimos 150 anos de convivência no Estado do Ceará.

  • Assessoria de Comunicação Social do 3° Distrito Naval

Ver o post original

Comunicação jihadista estratégica online

Velho General

B-Top-720x75px-V-Unit.jpg

Cel-Montenegro.pngPor Fernando Montenegro*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.jpgImagem: News Now Finland/iStock.


Artigo publicado originalmente na edição especial 2017 da Revista Diálogo do US SOUTHCOM www.dialogo-americas.com.


No dia 14 de outubro de 2016, Valdir Pereira Rocha, brasileiro, 36 anos, morreu em decorrência de espancamento em uma cadeia brasileira. Ele foi um dos doze presos na Operação Hashtag, da Polícia Federal do Brasil, dias antes do começo dos Jogos Olímpicos Rio 2016. A suspeita era de que o grupo tinha relações com o Estado Islâmico. A linha de investigação principal assinala que os agressores eram integrantes de facções do crime organizado. Esse evento mostra que ainda há diferenças e até mesmo disputas de espaço na América Latina entre jihadistas e o crime organizado.

Já faz algum tempo que o Estado Islâmico criou a Nashir Agency, que vinha promovendo grupos…

Ver o post original 2.004 mais palavras

Nota de Esclarecimento MD – matéria jornal O Estado de SP

Velho General

B-Top-720x75px-V-Unit.jpg

Albert-VF1Por Albert Caballé Marimón*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.png


O Ministério da Defesa, através da Assessoria de Comunicação Social, mais uma vez emite Nota de Esclarecimento acerca de matéria divulgada em jornais, desta vez numa reportagem de “O Estado de São Paulo”.


Brasília (DF) 11/02/2020 – Ao contrário do que foi publicado na reportagem “Governo omite dados de pensão a filhas de militares”, publicada no Jornal O Estado de S. Paulo desta terça-feira (11/02), o Ministério da Defesa não omite qualquer tipo de informação e, muito menos, se recusa a fornecer dados públicos. Ressalta-se que, inclusive, consultas individualizadas sobre pensionistas vem sendo feitas e atendidas por este órgão.

Cumprindo o que determina o Acórdão 2154/2019 do Tribunal de Contas da União (TCU), cabe à CGU publicar os dados no Portal da Transparência do Poder Executivo. Por isso, desde outubro…

Ver o post original 143 mais palavras

Marinha: Nota de Esclarecimento – Matéria Míriam Leitão

Velho General

B-Top-720x75px-V-Unit.jpg

Albert-VF1Por Albert Caballé Marimón*

Baixar-PDF


Apoie o Velho General: contribua com a manutenção do blog, conheça as opções.


Capa-PDF.jpg


A jornalista Míriam Leitão publicou hoje, no site do jornal O Globo, matéria intitulada “O liberalismo à moda da casa”, na qual faz críticas à EMGEPRON e ao governo brasileiro que, segundo ela, está “capitalizando empresas militares”. A Marinha do Brasil divulgou uma nota de esclarecimento à imprensa, que reproduzimos a seguir.


Brasao-Marinha.png

MARINHA DO BRASIL
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA
NOTA DE ESCLARECIMENTO
Brasília – DF. Em 01 de fevereiro de 2020.


Em relação à coluna da jornalista Míriam Leitão “O liberalismo à moda da casa”, publicada hoje (01/02), no jornal “O Globo”, a Marinha do Brasil esclarece que a Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), por ser uma estatal não dependente do orçamento federal, foi capitalizada para investimentos na iniciativa privada, sem afetar o Resultado Primário Consolidado do Governo e…

Ver o post original 259 mais palavras